Lipoescultura

Gostou? compartilhe!

Igualmente ao que acontece com a lipoaspiração, já que por vezes ambos os procedimentos são classificados como equivalentes, a lipoescultura também exige que o paciente interessado em se submeter às suas práticas evite, em seu processo de preparação, a ingestão de drogas anti-inflamatórias e fitoterápicas (como o ginko giloba, por exemplo). A razão para esta recomendação é uma só: além desta escolha normalmente resultar em um aumento no sangramento, ela somente pode ser colocada em prática se o cirurgião plástico responsável pelo procedimento estético autorizar. Não bastasse, também vale lembrar que também é ele o profissional apto a fornecer instruções pré-operatórias adicionais a todo e qualquer interessado em se submeter a um procedimento que de uma vez só alia saúde e positivos efeitos estéticos a simplesmente todas as suas incisões.Algumas dúvidas que costumam surgir são:

  • Existe risco nesta cirurgia?;
  • Ficarei com cicatrizes?;
  • Quando é que eu conseguirei perceber o resultado final do procedimento em si?;
  • Como será meu pós-operatório?;
  • Qual é a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura?

Conheça mais sobre a lipoescultura

O Dr. Carlos Colette recomenda que as lipoesculturas sejam realizadas em um ambiente hospitalar adequado e voltado à garantia da segurança ao pacienteO Dr. Carlos Colette – Cirurgia Plástica acredita que a segurança deve se apresentar como um dos principais planos de fundo para a realização das lipoesculturas. É justamente em função disso que o profissional indica que todo e qualquer procedimento estético com este enfoque venha a ser realizado em um ambiente hospitalar adequado. Entre em contato e saiba mais.